sábado, 6 de agosto de 2022

Diário Pessoal


AMO O QUE FAÇO

Há atividades que faço voluntariamente pelo amor à literatura, arte e mídias. Óbvio que ter feedback dos públicos ou remuneração seria mais motivacional. Mas o é simples fato produzir que move-me.

O tempo disponível faz-me crer que posso fazer mais. Basta ter inspiração, parcerias ou um incentivo. Oportunidades ou pessoas que posso ajudar fazendo o que sei fazer.

O que ganho com isto? A aprendizagem em mídias, a criação de uma obra (livros, jornais, revistas, gibis, páginas, canais, sites, blogs, etc.) que cresce a cada dia e a ocupação produtiva do tempo.

A CAMINHO DA RESILIÊNCIA

Há um ano atrás eu bebia e fumava sete dias na semana. Em julho passei trinta dias consecutivos cortando o crivo. Em agosto continuo zerado. Quanto mais ocupo-me das coisas que gosto (escrever, correr, compor, tocar violão, jogar games, etc.), menos tempo sobra para os vícios.

Consegui guardar uma garrafa de vinho durante três semanas sem bebê-la. O domínio próprio é um desafio que estou consumando aos poucos. Cada vez mais, venho reduzindo o álcool e passo maior tempo sem beber. Conforme o planejado, estou conseguindo evitar sair à noite.

Há outros supérfluos a cortar. Tais como o refrigerante, os doces, salgados e frituras. Certamente, isto é capaz de trazer resultado imediato em poucos meses. Quero ver se reinicio a correr e fazer fisioterapia na academia na semana. Estive com o ombro deslocado, desde terça, até ontem.

RECRIANDO-SE 

Há dois anos, venho convertendo-me ao Evangelho, com forte influência do Espiritismo, mas, também, da magia.

Eventualmente, estudo as Sagradas Escrituras em áudio no YouTube. 

Na crença que guardo hoje, somos espíritos, pecadores e irmãos, diante o único Santo, Pastor e Pai Nosso. Assim, recrio-me, mais uma vez, pensando diferente de antes.

BONS MOMENTOS 

Desde os trinta e sete anos, este é o meu melhor momento na questão abstinência do tabaco e álcool. 

Também não fumo mais cannabis todo o dia e/ou o dia inteiro, como era há dois anos ou dos vinte aos trinta. Às vezes, chego a passar semanas sem queimar um. O máximo que consegui, foram quatro anos e meio consecutivos, entre um baseado e outro, dos trinta aos trinta e cinco.

Desde que mudei-me, há dez meses, afastei-me da noite e dos antigos amigos. Creio agora ser o momento decisivo.

O MALIGNO SEMPRE PEDE RECISÃO

Sinto muito mal olhado sobre minha pessoa. Pessoas que ainda não se deram a oportunidade de conhecer-me. Estão, nas minhas redes, em perfis fakes.

O diabo e seus cúmplices continuarão tentando derrubar-me. Ele não irá dizer que sou pelo certo, bom e justo. 

Mas a luz quer vencer as trevas, assim como o bem quer vencer o mal e as virtudes, os vícios.

LIVRE E DISPONÍVEL

Solteiro desde guri, casei-me com o próprio projeto.

Tudo indica que continuarei disponível, como pedem os guias destes trabalhos.

Até porque prefiro ser livre e obediente aos Mandamentos Divinos.

Juliano Paz Dornelles
Médium dos Guias Anônimos 

Nenhum comentário:

Postar um comentário