quinta-feira, 17 de setembro de 2020

Pensando Bem

 


À SINGULARIDADE

Não há outro como você, a menos que você se venda. Mas lembre: "Tens o livre arbítrio".

"O que sou? O que somos? O que a gente é?"

"O Homem é a própria alma; a alma, a própria consciência".

ACREDITE EM SI

Aprendi coisas nos livros. Aprendi coisas na escola. Mas a vida ensina mais e melhor.

Esqueça o que era pra ontem. Pensemos no que é pra hoje. Pois logo será amanhã.

Dizem os Provérbios: "Olhe firme para a frente, com toda a confiança; não abaixe a cabeça, envergonhado".

Que assim seja

CRER NO PODER SUPERIOR TRANSCENDE COMPROVAÇÕES CIENTÍFICAS 

Seu manto estava tingido de sangue. Havia fogo em seus olhos vermelhos. Uma espada afiada saía de sua boca. 

Dizia o Rei que "o cavalo não garante a vitória".

Oh Senhor dos Senhores, é uma honra lutar ao seu lado. Perdoe os quais questionam, negam ou buscam comprovar o que provém da fé ao sobrenatural.

Então disse o Mestre: "Eu não vim trazer a paz, mas sim a espada".

Tupã seja louvado.

MAIS QUE NADA 

Desculpe Bauman, mas Heráclito tocou a fluidez antes de Cristo. Desculpe Newton, mas Trimegisto tocou a ação e reação antes do Império Grego. Se Sócrates fosse encarnado, diria, quanto a tais plágios do conhecimento que 'quanto mais sei, mais "sei que nada sei"'. 

No entanto, evite a falsa modéstia dos quais julgam-se ignorantes para adquirir o saber. Como 'copos vazios' (cheios de influências ou referências) a serem preenchidos. Isto está manjado (superado) há muito tempo. Pois o futuro está sempre além do agora.

Pior ainda, seria o tolo que julga-se sábio aos próprios olhos. Ou passar-se por tolo para sentir-se mais perto dos sábios. Saber ou não saber? Ou estamos além disto, ou isto está além do entendimento.

O desconhecido agrega vários conhecimentos. Alguns equívocos. Muitos questionamentos. Incontáveis incógnitas. 

Shalom (paz)

terça-feira, 15 de setembro de 2020

Incêndio na Amazônia

 







ENQUANTO A AMAZÔNIA QUEIMA 

Estas árvores (fotos) deveriam estar fazendo fotossíntese e produzindo oxigênio. Mas estão queimando e emitindo gás carbônico.

No colégio diziam que a produção de grãos crescia em proporção aritmética, enquanto o crescimento populacional dava-se em proporção geométrica. Até aí tudo ok. Mas transformar a Amazônia em pastagem e lavouras nos tornará primeiro mundo? Óbvio que não! A fome mundial se resolve com o fim do desperdício e inclusão social. 

Mesmo com o aumento dos royalties e preço dos grãos. O que precisamos é acelerar a industrialização e desenvolvimento tecnológico desde a escola. Iniciando pela educação.

Portanto, irmão Presidente. Faça alguma coisa. Há plantas que ainda nem foram pesquisadas quanto ao poder medicinal. Entregar Alcântara aos norte-americanos não resolve a soberania da Amazônia. Pelo contrário, nos coloca a mercê dos exploradores.

Os índios estão sendo dizimados. Culturas aniquiladas. Sem falar no ecossistema. Pois quando queimam as árvores, o reino animal também é exterminado. Salvemos este tesouro natural que Tupã logrou a nossa Nação.

Juliano Dornelles
Mestre em Comunicação


terça-feira, 18 de agosto de 2020

Pandemia - Cartas ao leitor II



Terça-feira, dezoito de agosto. Eram nove horas quando levantei da cama. Duas horas após o horário de costume. Ainda estamos em pandemia. O Sol brilha lá fora. Mas a humanidade caminha tímida pelas ruas das cidades. Boa parte ainda está enclausurada em casa.

Às sete horas despertei com o Sol batendo na janela. Liguei o telejornal. Coloquei água e café na cafeteira e fui dormir novamente. Agora são dez horas. Enquanto escrevo este texto, peço que o Pai continue abençoando estes dias livre do álcool e drogas.

Assim que levantei-me, compartilhei uma imagem de uma carteira de tabaco com a frase "fumem por mim neste dia". A foto foi compartilhada em grupos virtuais com mais de duzentas mil pessoas. Uma tentativa de seguir, desde já, no ar puro.

Até parece um ato criminoso. Mas a verdade é que tudo o que muitas pessoas desejam nestas horas é beber e fumar. Lembrei-me dos dias em que acordava fumando baseado. Estou livre. Um dia de cada vez. Vamos indo. Assim cortei o tabaco durante três anos dos trinta e dois aos trinta e cinco. Assim que resolvi proceder desta vez.

A verdade é que as drogas já não me pertencem mais. O resquício dos velhos hábitos ainda se mostram nos sinais do tempo. Mas agora penso em outras coisas. Não há porque beber. Não há porque fumar. Não há porque drogar-se.

Abstêmio das substâncias químicas, zelo cada minuto ao ar puro. Um desejo que demorei dois anos para executar. Assim só venho conseguindo quando corto o consumo das bebidas alcoólicas. Consequentemente, das drogas ilícitas.

O primeiro livro da trilogia "O Bom Combate" ainda estava na prensa até ontem. Liguei para o Rio de Janeiro e pedi que a editora adiantasse e a impressão. Embora já tenha divulgado a primeira parte da obra em e-book.

O que fazer agora que estou zero álcool? Para que convido as mulheres para beber: café ou chimarrão? Ambos me soam melhor que álcool e drogas. Não prometo nunca mais fumar baseado. Mas tenho certeza que não gasto mais nem um centavo em drogas.

As contas apertaram. O Corona Voucher ainda está esperando no aplicativo Caixa Tem a ser depositado em minha conta corrente. Temos três semanas até lá. Tenho que sair do cheque especial. Acertar contas. Guardar o troco.

Quanto à Pandemia, ainda estamos em quarentena. Esta é a melhor forma de proteger-se. Usar máscaras e álcool gel continua sendo a alternativa mais segura. Evitando o contato social até que tudo se estabilize.

segunda-feira, 17 de agosto de 2020

Juliano Dornelles, Paz Dornelles - Este é meu nome


CORRENDO PARA CORTAR ÁLCOOL E DROGAS ILÍCITAS - AQUECIMENTO PRÉ-TREINO


Deus conceda-me mais este dia cortando o álcool e drogas ilícitas.

Correr na categoria fumante é o tiro (Sem álcool e drogas ilícitas)🤘 Eu Sou nos ama 🤘

Já havia cortado sete dias intercalados este ano. Mas hoje fumei. Agora corto novamente.

Corro dede guri novo. Fumei 21 anos, mas cortei três anos uma vez. Também cortei seis meses antes dos trinta. Semanas avulsas, também, há quatro anos.

Reiniciei a correr quando enterrei o crack, em farelos, na cozinha, há mais que uma década. Gostaria que um dia eu pudesse ajudar os usuários a cortar álcool e drogas ilícitas.

A maioria das pessoas faz apologia ao álcool pois não sabe o que é ter tido hepatite A. Ou fantasiam que o crack não tem solução desacreditando a recuperação dos usuários. Ou, ainda, condenam o tabagismo que ajuda tantos adictos a cortarem as ilícitas.

Mas está aqui o cara que se salvou. Just for today, um dia de cada vez, estou salvo.

segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Se fosse um tiro - Sou eu

Juliano Dornelles


Se tudo isto fosse um tiro, hoje "Eu sou"! Retiro-me da cocaína, do baseado, do tabaco e do álcool. 

Contudo, continuo somando com quem vem somar. Independente dos vícios que tiver.

Abençoa Senhor mais este dia livre do álcool e drogas. 

Que assim seja