quarta-feira, 15 de setembro de 2021

Penso, logo existo



Paz, Ordem e Progresso é como uma escadaria em que os degraus convergem à causa e consequência. Um é o efeito do outro e vice versa.

Liberdade é o direito à escolha. Fraternidade é somar forças. Igualdade é olhar os semelhantes na altura dos olhos.

Abaixo de nós, o chão. Acima, o céu. Além disto, somos irmãos.

Pense bem, na questão milenar proposta pelos filósofos gregos!

De onde viemos? Para onde vamos? O que fazemos aqui?

A natureza pecaminosa é humana. O indivíduo nasce bom, mas é corrompido pela sociedade. 

Como homem; Eu sou um espírito que vive a humanidade de quem conheceu o pecado mas estou aqui para evoluir.

Aliás, o que é o certo, bom e justo? Ser o lobo do homem, ou pescador de homens?

Com certeza, o Mestre nos pescou à sã consciência de que fazer o bem sempre será a melhor alternativa ao indivíduo e à coletividade.

Se cada um que levasse um tapa devolvesse uma bofetada, o mundo seria só porrada. Contudo, é construtivo que gentileza gera gentileza.

Retribuir o bem sempre será certo, bom e justo.

O Planeta é a grande Nave. A grande Arca. Ou embarcação. Nisto costumo dizer que estamos no mesmo barco. Então, reme para a frente e avançaremos juntos.

O maior desenvolvimento não provém de um cabo de guerra, mas de uma cooperação mútua à paz.

Quanto menos batermos de frente, mais estaremos nos ajudando. Não perca tempo em criticar ou pré-julgar os semelhantes. Ou ajude, ou mantenha-se no próprio caminho.

Lembro uma frase de Carlos Wizard a qual faço uso: "Não somos humanos em uma experiência espiritual. Somos espíritos em uma experiência humana".

Também há uma frase do mesmo autor que diz: "Não compare-se com os outros. Compare-se apenas consigo mesmo".

Não é atoa que Wizard chegou a ser o homem mais rico do Brasil. Isto é consciência singular.

Sócrates dizia que: "O homem é a própria alma; a alma, a própria consciência".

Juliano Paz Dornelles
Mestre em Comunicação
Membro da A.L.M.A.S.
Sócio do Partenon Literário



quinta-feira, 9 de setembro de 2021

O Mundo Cristão


BASTA À NEGOCIAÇÃO DE SUBJETIVIDADES

Sou cristão desde guri. Estudei numa escola que se chama Sagrado Coração de Jesus. Oro desde pequeno. Sou batizado, fiz primeira comunhão e crisma. Tenho Jesus como referência número um. Mas há algo que me revolta. Ver as pessoas brigando pelo Cristo. 

Jesus não é algo que se tira ou se leva dos outros. Mas algo que se conquista pela prática da oração, a piedade, o amor ao próximo e obediência às Sagradas Escrituras. Quando este mundo irá entender isto? 

É tão simples. Mais fácil do que se imagina. Há coisas que não se vêem pela cara. Mas pelas atitudes de quem sabe perdoar. 

Desconfie de quem disser "eu vi". Quem assim procede está sendo vendedor do que está fora de negociação. Pois quem vê de fato não precisa dizer. 

Basta! Entendam! Ele nos ama e nunca foi sem você. Salvo se você quiz o diabo em si. Pois tudo é escolha. Mesmo assim Ele te dará novas chances para escolher. Pois te ama e lutará pela tua alma até o fim.

Se você fuma ou não fuma; bebe ou não bebe; não fede ou nem cheira. Quem não tem pecado? Isto são apenas coisas dos homens. Seja bom ou justo. Isto é o certo como cristão.

O que vale é ama-lo. Mas não o queira só pra si.  Pois este sim é o pão que se multiplica quando compartilhando e não algo que se rouba ou cobiça. 

Cada vez que você bate o martelo sobre as coisas espirituais, você ofende o Sagrado. Cada vez que você pede dos outros ou sem, você fere a vontade do mestre que veio para nos unir.

Cada vez que você julga, retribui o mal ou deixa de perdoar, você está fazendo o contrário do que pediu o Mestre.

Ore. Tente entender. Não apenas aceitar. Ou este mundo estará perdido. 

Mais uma vez: Basta!

Juliano Paz Dornelles
Mestre em Comunicação
Membro da A.L.M.A.S.
Sócio do Partenon Literário

terça-feira, 7 de setembro de 2021

7 de setembro de XXI


Feliz dia da independência!

Obs (imagem): Arte que criei à bandeira do Brasil !

OS GUIAS

A maioria dos guias que trabalho fuma. Foram trabalhados pelo meu pai. Fumaram mais de vinte anos. Mas, quando não fumam, gostam de correr, escrever ou tocar violão.

Desde quando fumamos charuto recentemente, não querem mais tabaco com filtro. Também não bebem fermentados, salvo se colocar destilado na mistura.

Creio serem espíritos familiares paternos distantes. Não sei os nomes. Pois há uma regra aqui que implica não perguntar. 

Como disse, a maioria fuma e foram trabalhados, exclusivamente, pelo meu pai.

Eles ajudam-me em tudo sem cobrar nada. Como se conhecessem-me desde guri, dizem-me que sou eu quem manda.

Confessaram que mantém distância das pessoas que colocam o dedo no ânus. Que nunca aceitariam trabalhar com gente assim. Nem se vendessem tudo que botaram na bunda.

CONTRATADO O EXU TRANCA-RUA

Mal olhado é foda! Uma sensação que alguém se projeta na minha sala, ou quarto, para ver, ou ouvir, o que estou fazendo. Por que isto? Será que estou louco? Ou se trata de obsessores de fato? Faz um ano e meio que sinto isto. Como se fosse um exu tranca-rua ligado quase que em tempo integral. Irei servir uma canha para ver se ele quer beber. Ou isto não lhe pertence mais!  Rssss

Não é que aceitou uma cerveja com vodka! Está contratado. Agora trabalha pra mim.

OKE ARO (O DESTILADO)

Há sete anos que coloco vodka na cerveja. Completado este período, recém hoje, chegou a encomenda.

Com certeza os Exus e Caboclos preferem destilados. Inclusive na cerveja. Hoje sei o porquê.

A UNIÃO FAZ A FORÇA

Negociar com Zé Pila foi mais dificil. Precisei de um ano para comprar o contrato. Agora o maluco entrou na vibe do "Just for today". O cara está até rezando a Oração da Serenidade.

NINGUÉM ME CHAMOU MAS VIM PRA DIZER

Cada vez que obsessor olha-me, baixa um guia para escrever. Quando quer ouvir-me, "vim pra dizer".

Dizem os guias que gastaram os nãos e não conseguem desligar-se das redes dialógicas. Ou estão procurando algo que não está aqui. Pois não sabem onde está.

O segundo guia disse que procuram os "com ou sem" eles. Mas a verdade é que trabalho, dos meus, apenas os "com ou sem" yo (os quais chamo "poetas violeiros" que bebem tody e fazem polichinelos). Dos outros, nem imagino onde andam.

Dizem os guias que os obsessores sentem falta porque vendem, ou despacham, subjetividades. Isto os desfalcou devido a tal imprudência. Não sabem onde andam os quais lhes faltam. Mas, com certeza, estão em outro lugar. 

De outro modo, trabalho apenas os próprios. Vantagem de quem nunca vendeu, nem despachou, ninguém. Neste caso, eu mesmo.

As únicas marteladas que utilizo se chamam: "Sessão aberta", "Ordem" e "Sessão encerrada".

A FACA E O QUEIJO

Transformar limão em limonada é a magia a que me proponho. O cenário atual é desafiador. Não estou na melhor forma física, econômica ou relacional. Então, sei exatamente em que ponto investir. Feito o plano a médio prazo até o Natal. Iniciado neste feriado.

Convoco meus amigos virtuais a serem testemunhas e cobrarem-me isto. Entre a cruz e a espada, apresso-me para vencer as demandas. Já não sou mais guri. Tenho que assumir-me homem. Pois muito prometo e pouco tenho feito daquilo que escrevo. Está na hora de honrar minhas palavras.

Cobrem-me isto!

Juliano Paz Dornelles
Mestre em Comunicação
Membro da A.L.M.A.S.
Sócio do Partenon Literário



sábado, 4 de setembro de 2021

Manuscritos da madrugada


PILA ERA VICIADO EM COCADA

Era uma segunda-feira pela manhã. Havia bebido vodka no café com leite; também no chimarrão.

Então, em posse da farinha, pedi para ser, e fui, colocado no ebó. Senti-me um por cento da energia. Eram trezentas vozes, como se estivesse recebendo uma falange inteira. Que hoje lê os meus textos em todo o mundo.

Terrivel obsessão consciente. Deixar o adversário falar para destapar quem está por trás.

Senti-me destruído cada vez que tocamos o somos um só. Antes de abrir em três vértices.

Oke Cabo? Está iniciado!

Veja bem! Quando um fala o outro escuta!

Assim que a gente cresce.

OH DESCOLADOS DOUTORES;

Digam-me sim! Esgotou-se vosso não?

Ou balance aquele dedo que meteste no rabo!

Entendam que nunca trocarei ninguém por nenhum até porque desmontado o primeiro é desmanchado o terceiro.

Não venham julgar-se aquilo que não acreditam. Pois antes do martelo, há outra história.

A ARMAÇÃO CAIU POR TERRA

Em bando, os bandidos promoviam tirar ou levar protetores dos devotos. 

Os vendedores diziam que viram o assalto. Ou mentiam que viam em alguém. Através do falso testemunho promoviam as vendas em troca de ajuda, dinheiro ou favores.

Em cima, os cabeças vendiam os próprios ancestrais como cavalos de Santo. Diziam que viram Santo em familiar, mestre ou aluno. 

Então delatei a jogatina das Lojas de Estado aos cinco continentes. 

Santo não se vende, não se usa e não se é.

Devido a isto, ameaçam-me pelo telefone. Avisei testemunhas sobre quem é este pessoal.

Como irmão sou pela "Não-Venda". Como devoto, apenas oro.

Se você é devoto, ore!

Juliano Paz Dornelles
Mestre em Comunicação
Membro da A.L.M.A.S.
Sócio do Partenon Literário


Sessão Extraordinária


Capital Farroupilha da América
5 de setembro de 21 - 12h

Chamo isto de "estado pai" (a cabeça que pensa) ou "estado filho" (o corpo que sente).

"Cavalo de Santo" é o "Orixá" correspondente a cada santo, nome atribuído ao médium (ou caboclo) após o primeiro nome. 

Desmanche é onde são desmanchados os cavalos dos imprudentes (quem utiliza julgar-se, retirar-se ou levar-se com algo espiritual). 

Os quais vendem-se "Cam" (pelo sem alguém, sem motivo ou injustos), também têm o respectivo "culo" desmanchado.

Na Lei dos irmãos vigora a igualdade, a fraternidade e a união.

Ir.'. Juli.'. Paz Dornell.'.
Venerável Grão Mestre

Igreja não é Loja

A casa do Pai não é lugar de comércio. 

A ARMAÇÃO CAIU POR TERRA

Em bando, os bandidos promoviam tirar ou levar protetores dos devotos. 

Os vendedores diziam que viram o assalto. Ou mentiam que viam em alguém. Através do falso testemunho promoviam as vendas em troca de ajuda, dinheiro ou favores.

Em cima, os cabeças vendiam os próprios ancestrais como cavalos de Santo. Diziam que viram Santo em familiar, mestre ou aluno. 

Então delatei a jogatina das Lojas de Estado aos cinco continentes. 

Santo não se vende, não se usa e não se é.

Devido a isto, ameaçam-me pelo telefone. Avisei testemunhas sobre quem é este pessoal.

Como irmão sou pela "Não-Venda". Como devoto, apenas oro.

Se você é devoto, ore!

Juliano Paz Dornelles
Mestre em Comunicação
Membro da A.L.M.A.S.
Sócio do Partenon Literário